sábado, novembro 15, 2008

O meu ídolo

É uma mulher.
Não era conhecida do grande público.
Não foi cantora, bailarina, apresentadora de tv...

Foi a 1ª de 3 filhas.
Apesar de pobres, os pais unidos e muito cúmplices, fizeram de tudo para que nada lhe/s faltasse.
Fez a 4ª classe, numa altura em que os meninos íam muito mais à escola do que as meninas.
Teria ido bem mais longe, se tivesse tido oportunidade.
Começou a trabalhar muito cedo em costura. Passou da costura manual para a costura à máquina.
Namorou, casou, teve 2 filhos.
Deu guarida a muitos familiares do marido que passavam mais dificuldades.
Deu protecção aos que cometeram erros que na altura não eram bem vistos pela sociedade.
Dava a mão. Dava a vida se fosse preciso.
Teve problemas graves de saúde. Alguns muito graves. 7 intervenções cirurgicas delicadas.
Era dona de um coração muito grande. De uma força que nem ela própria sabia que tinha.
Teve 3 netos e eu tive a sorte e o privilégio de ser o primeiro. De a conhecer, de falar com ela sobre tudo. Era especial.

A minha AVÓ paterna (a única avó verdadeira que conheci), não foi cantora, bailarina, apresentadora de tv....
foi LUTADORA....até ao fim.

Tertúlia Virtual_15 de Novembro 2008

13 Comments:

Blogger Georgia said...

Linda homenagem e linda a sua cronica.

Nada como falar do coracao.

Bom sábado

15:01  
Blogger maria antunes said...

:)

Beijinhos

M.

15:30  
Blogger Jorge C. Reis said...

Excelente. Vieram-me as lágrimas aos olhos.
Abraço
Jorge

15:49  
Blogger expressodalinha said...

Tem grande força e sinceridade o que acabaste de escrever. Vivam as avós!

16:44  
Blogger Milouska said...

Uma homenagem simples, mas verdadeiramente sentida, numa linguagem também ela simples, tocantes, como são todas as coisas belas.
Um abraço e bom domingo,

Milouska

23:32  
Blogger Gaspar de Jesus said...

Muito linda e tocante esta sua Homenagem à AVÓ.
Parabéns
Gaspar de Jesus

00:35  
Blogger Ruvasa said...

Viva, jcachorro!

Pais, avós e filhos deviam ser proibidos de entrar nestas coisas. São de um outro mundo. É que é desleal para com os restantes. Partem logo com vantagem.

É como a história dos polícias do antigamente, que começavam uma disputa com qualquer cidadão logo com 70cm de razão de avanço: o cacetete!

;-)

Abraço

Ruben

16:17  
Blogger Al Kantara said...

Belo texto sô Cachorro mas tenho de concordar com o Ruben : Avós não vale...

22:45  
Blogger jcachorro said...

ruvasa e al kantara:
Penso que não fugi às "normas" da Tertúlia deste mês... Podíamos abordar o tema com um familiar e assim decidi, porque de facto só consigo ter como ídolo alguém que me diga muito (a vários níveis).
E não entendo isto como vantagens ou desvantagens.
A Tertúlia Virtual (para mim), não é um concurso. Apenas uma partilha. ;)

Aproveito para agradecer todos os comentários de todos os participantes.

Abraço

11:55  
Blogger Fatima said...

João, a tua avó não é o meu ídolo, é o meu estímulo e a Luz que quero seguir.
Porque pelos frutos se conhece a árvore, e porque queria, mais que tudo, que o meu neto viesse a falar de mim como falas da tua Avó.

18:26  
Blogger jcachorro said...

Muito obrigado, Fátima.
E não tenha dúvidas que o Francisco também vai falar muito da Avó paterna!

Um grande beijinho

22:43  
Blogger Eduardo P.L said...

Feliz aquele que tem na sua família um ÍDOLO! Parabéns a senhora sua avó! Obrigado pela sua participação na Tertúlia!

07:25  
Blogger Kay said...

Lindo!

14:06  

Enviar um comentário

<< Home